“Estas terras são minhas. Um dia, ainda vais ficar com elas e fazer uma grande quinta” prenunciava com sabedoria ancestral o tio-avô do fundador – o Engenheiro Hernâni Verdelho – contemplando do alto da poeirenta estrada Nacional 222, a melhor do planeta para conduzir, a vastidão serena e soalheira da Quinta do Carrenho.

Há cerca de 40 anos Hernâni Verdelho iniciou um projeto de reconversão e beneficiação do seu património vitícola de vinhas velhas, seguida de plantação de vinhas novas, a maior parte das quais localizadas na Quinta do Carrenho, que se encontram implantadas em terrenos de encosta de média altitude, xistosos, abrigados e com excelente exposição solar.

d-berta_provavertical_solarvinhoporto_js_27042011-4-min

Eng. Hernâni Verdelho, o Fundador da Casa, numa prova vertical do Vinho que ajudou a lançar a marca – Vinhas Velhas Reserva Rabigato (o Eng. Hernâni foi um dos primeiros produtores nacionais a apostar nesta casta para produção de vinho monocasta).

Todo este trabalho tornou possível a existência de um complexo vitícola com cerca de 15 hectares, com excelentes caraterísticas para a produção de vinhos, implantado num terroir específico e sui generis, classificado como património mundial pela UNESCO desde o ano 2001, onde cerca de metade são vinhas com mais de meio século.

dsc05003-min

A Quinta do Carrenho – localizada bem no coração do Alto Douro Vinhateiro

Adicionalmente possuímos cerca de 2 hectares de vinhas centenárias, pré-filoxéricas com castas da época, algumas das quais inclusivamente já não constam do registo atual de castas do IVDP. São castas como o Casculho, o Cornifesto, a Tinta Raiz a Silveirinha, o Donzelinho e o Folgazão.

Os vinhos Dona Berta nascem a partir das melhores castas, genuinamente portuguesas e rigorosamente selecionadas. Foram selecionadas as melhores castas (Tinta Roriz, Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinto Cão, Rabigato, Verdelho).

Todo o processo de vinificação é implementado por uma equipa de técnicos competentes e superiormente conduzida por um enólogo de reconhecida competência.

O resultado é um vinho de rara elegância, profundamente sedutor e com inigualável tradição. Uma tradição refletida na marca Dona Berta, nome por que toda a gente desta zona tratava a mãe do fundador.

Após o falecimento do Eng. Hernâni, no ano de 2011, a casa passou a ser gerida pelos seus Herdeiros – esposa (Maria Fernanda Verdelho) e filhos (Isabel Andrade e Pedro Verdelho) que continuaram este projeto com a mesma dedicação e amor do seu fundador.

12109148_969857993067242_6750535875068155317_n

Os Herdeiros

Hoje, o seu espírito perdura na paixão arrebatadora que estas paisagens, estas terras e estes vinhos despertam, uma paixão que os convidamos a provar!